A definição correta da Devoção a Deus

VERDADEIRA DEVOÇÃO DEFINIDA

“O que é devoção? Cada um define a sua maneira.

Para um mundano, devoção consiste em acreditar em Deus e em manter alguns princípios de religião. Para um santo, consiste em ser absorvido e perdido em Deus. Entre estes dois extremos há quase um número infinito de definições, que são mais ou menos exatas à medida que se aproximam ou se afastam da outra.Para defini-lo exatamente, eu adiro à palavra em si e à idéia que ela expressa.

A palavra “devoção” vem do latim, e em nossa língua significa precisamente o estado de devoção ou de consagração, portanto, ser devoto é o mesmo que ser devotado ou consagrado a Deus, é sobre a idéia que o termo de “ser dedicado “oferece à mente que vou fundamentar tudo o que tenho a dizer sobre a devoção, depois de ter estabelecido que, quando Deus e os nossos deveres em relação a ele estão em questão, a palavra deve ser tomada em seu sentido mais sério e mais amplo.

Artigo relacionado – Como vencer a pornografia

Agora, tanto em inglês quanto em latim, não conhecemos nenhuma expressão mais forte que a de “ser dedicado”, a fim de expressar apego íntimo, dependência absoluta e voluntária, zelo afetuoso, – em uma palavra, uma disposição do mente e coração de submeter-se totalmente à vontade do outro, de antecipar seus desejos, de abraçar seus interesses e de sacrificar tudo por sua causa.

Assim, dizemos de uma criança, um servo, um [cidadão], que ele é dedicado a seu pai, a seu mestre, a seu país.

Também dizemos que um homem é dedicado à ambição, ou a qualquer outra paixão, quando só pensa em satisfazê-lo; quando ele procura todos os meios, direciona todas as suas visões e empreendimentos para esse propósito, e quando o absorve de tal modo que ele dificilmente pode prestar atenção a qualquer outro objeto.

O ser dedicado a Deus compreende tudo isso no mais alto grau; e acrescenta, além disso, uma consagração em virtude da qual aquele que é consagrado não pertence mais a si mesmo – não tem mais direito sobre si mesmo; mas pertence a um ato de religião, o mais sagrado e mais irrevogável, ao Ser Supremo a quem ele se dedicou.

Tal é a idéia que eu me formei de devoção, explicando a palavra de acordo com sua significação precisa. A prática disso, eu possuo, tem seu começo, seu progresso e sua perfeição; mas o ato de consagração deve ser completo, completo e perfeito na vontade no momento em que é formado. Sem ir mais longe, e a partir dessa definição simples, podemos já julgar quão rara é a devoção entre os cristãos, e se nós mesmos somos devotos.

O QUE NÓS DEVEMOS DEUS; OS MOTIVOS PARA O DEVOTO.

O devotamento que devemos a Deus é singular em sua espécie; é fundado em títulos que pertencem somente a ele, e que ele não pode compartilhar com qualquer outra pessoa.

Deus é nosso primeiro começo e nosso último fim. Ele nos criou e nos preserva a cada momento. Somos gratos a ele por todas as vantagens que possuímos tanto de alma como de corpo: os céus, a terra e todas as coisas boas que desfrutamos são o trabalho de suas mãos e os dons de sua beneficência liberal1. Ele se dispõe ao prazer de todo evento, e sua providência tem apenas nosso bem-estar em vista em todos os seus desígnios e arranjos.

Ele nos fez conhecê-lo, amá-lo, servi-lo e, assim, ser bem-vindo a viver com ele por toda a eternidade.

[Fomos enriquecidos, desde nossa própria origem, com todos os benefícios da natureza e da graça … mas tendo caído desse estado sobrenatural através da desobediência de nossos primeiros pais, Deus nos restituiu uma invenção admirável de Deus. seu amor: dando-nos o seu próprio Filho, … para que ele tenha somente misericórdia por nós.

Para o benefício geral da redenção, acrescente aquelas bênçãos que são particulares – [a participação] na Igreja Católica, a verdadeira religião2, uma boa educação, tantas graças de preservação, tantos pecados perdoados, as tenebrosas críticas e convites secretos para retornar. para ele, as muitas marcas, enfim, de um amor especial.

Deus é nosso bem soberano e, para falar com justiça, ele é nosso único bem. Como nós recebemos tudo dele, também esperamos tudo dele no futuro, pois podemos ser felizes somente através dele. Ele é nosso Rei, nosso Legislador, nosso Recompensador, o Árbitro Supremo de nosso destino. Acrescente a isso o que ele é em si mesmo, a eternidade e a infinitude de seu ser e de suas perfeições. Coroe tudo isso com o que ele é para nós na pessoa de Jesus Cristo.

Pausa agora por um momento; refletir sobre cada um desses títulos, que mal mencionei; pesa a força de cada um; estimar seu valor total; Aprecie as afirmações que tem sobre você, os sentimentos que exige de você e as obrigações que impõe a você. Depois de considerar cada um separadamente, reúna-os e conceba, se puder, a imensa extensão dos deveres que eles acarretam para você. Meça a capacidade do seu coração; veja se poderia pagar as dívidas que deve a Deus, embora se esgotasse em respeito, amor, gratidão e submissão; julgue se a sua dedicação, [por mais que esteja longe] possa carregá-la, será alguma vez proporcional a tantas reivindicações sobre ela.

QUE CADA OUTRO DEVOTE DEVE SER SUBORDINADO

Àquilo que nós devemos a Deus.

Que todos os outros atos de devoção, mesmo os mais lícitos, não podem entrar em comparação com isso são mais evidentes. Mas, além disso, todo ato de devoção que deveria estar em oposição a ele, que deveria, pelo menos, interferir com ele, ou mesmo que não estivesse inteiramente subordinado a ele, seria um ultraje que Deus necessariamente deve condenar e punir.

A homenagem, o respeito, o amor, a obediência, que pagamos a qualquer criatura, não são mais justos e agradáveis ​​a Deus do que ele próprio ordena e autoriza; não mais longe do que quando eles se mantêm dentro dos limites que ele prescreveu; não mais longe do que quando eles são referidos a ele, e são a expressão da homenagem suprema, do respeito infinito, do amor incomparável, e da obediência absoluta que é devida somente a ele.

O verdadeiro cristão sabe apenas um devotamento, do qual todos os outros são apenas uma extensão e uma aplicação, a saber, aquilo que é devido a Deus. Ele consagra somente a ele sua mente, seu coração e seu corpo; só para ele ele respira, pensa e age; Deus é o princípio, o motivo e o fim de todos os deveres que ele cumpre com seus semelhantes.

Leia também – Como se consagrar a Deus

Deixe uma resposta